terça-feira, 5 de agosto de 2008

Cyberbullying e pedofilia na internet. Nova lei será parceira dos pais responsáveis.

Os pais são os maiores responsáveis pelo bom uso da Internet pelos seus filhos. Cabe a eles conhecerem o que a Internet faz com seus filhos e dos seus filhos. Agora e finalmente, um projeto de lei será o grande parceiro dos pais.

O Senado aprovou projeto de lei que dita regras para coibir os crimes de informática. O projeto vai agora para a Câmara, para votação.

Esse projeto foi apresentado inicialmente em 1999. Foi amplamente discutido com as representações da sociedade e finalmente o texto do relator, senador Eduardo Azeredo, foi aprovado no Senado.

Aqueles que, como nós, conhecemos há anos os crimes praticados na Internet contra crianças e adolescentes, em especial os de abuso sexual, aplaudimos com entusiasmo o projeto. Sabemos que a rede da Internet, democrática, universal, moderna e rápida, tornou-se o paraíso dos pedófilos, que divulgam fotos e textos de pornografia com criança, incentivo à pedofilia, trocam arquivos e formam uma verdadeira rede virtual de apologia da pedofilia, que por vezes sai do plano virtual de alimentação solitária de perversões sexuais, para o plano concreto da realização das fantasias através de redes de prostituição e exploração sexual comercial de crianças e adolescentes.

Ainda na área da criança e do adolescente, outra situação de violência praticada cada vez com mais freqüência na Internet é o cyberbullying. Discriminação, exclusão e ofensas através dos chamados sites de relacionamento, têm levado adolescentes em todos os países ao isolamento, à depressão e até ao suicídio.


O projeto aqui citado propõe uma maior responsabilidade dos provedores e a punição pela receptação, transmissão e armazenamento eletrônico de pornografia infantil e outros crimes da Internet.

Com uma boa legislação sobre crimes na Internet, aumenta a responsabilidade dos pais, afinal, os que mais deveriam se preocupar em vigiar e fiscalizar a relação do seu filho com as várias faces da Internet.


Leia outros artigos sobre o tema no Observatório da Infância ou no blog:
Não dá para ficar calado.

Um comentário:

Geovanni disse...

PARABENS PELA EXELENTE MATERIA.
http://chegadesofrercalado.blogspot.com/