terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Jornalista, atirando sapatos sobre Bush e ofendendo-o com a palavra "cachorro", resgatou a dignidade do povo iraquiano.


Foto: Karim Kadim / AP
"Viva Sapato! Calçado é erguido em protesto contra a ida e George W. Bush a bairro xiita de Bagdá e em alusão aos sapatos atirados contra ele por um jornalista iraquiano, elogiado em países árabes."(Folha de São Paulo)


Em 6 anos de invasão do Iraque, o presidente George W. Bush comandou do seu gabinete americanos que mataram mais de 90 mil civis iraquianos, que promoveram a tortura (ver filme e ler livro "Procedimento Operacional Padrão"). Soldados americanos que arrasaram um país com a justificativa de democratizá-lo, que conseguiram gastar 576 bilhões de dólares com essa guerra absurda.

Pois depois disso tudo. Faltando poucos dias para o término do mandato, tem Bush o desplante de visitar o país, que destruiu sobre falsos e cínicos argumentos, e aparecer sorridente e otimista para entrevista coletiva com a imprensa. Recebeu o que merecia.

Parabéns ao jornalista, que com o seu ato de atirar seus sapatos sobre Bush, chamando-o de cachorro (palavra de forte significado ofensivo entre os árabes), simbolizou o desprezo do povo iraquiano pelo invasor e pelas tropas de ocupação. O jornalista, hoje considerado um herói, não só em seu país, mas também em países árabes vizinhos, teve a coragem de mostrar ao mundo que os iraquianos sabem bem quem são seus inimigos.

O simbolismo do ato praticado pelo jornalista ultrapassa em muito o próprio ato, considerado por Bush ironicamente como um momento bizarro na sua vida. E ultrapassa em importância até mesmo as palavras que o jornalista gritou para Bush:

"Este é um presente do povo iraquiano, seu beijo de despedida, cachorro! Pelas viúvas, órfãos e assassinados no Iraque."

Não dá para ficar calado.

Um comentário:

O Marcos disse...

Gostaria que o Dr Lauro Monteiro tivesse a coragem de me responder um dia. Rsss. Tentei muito.