sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Bebê morre ao ser esquecido em carro pelo pai

Bebê morre em carro ao ser esquecido pelo pai. Esta foi a principal manchete dos jornais de Rio e de São Paulo, de 08 de janeiro, noticiando a morte em Porto Alegre (RS) de uma criança de 2 anos que morreu asfixiada, dentro do carro do pai, que esqueceu de deixá-la na creche e foi para o trabalho.
Duas horas após, o pai voltou ao carro, tentou socorrer o filho, mas ele já estava morto.
Sabemos que esse pai foi negligente e que pode responder por homicídio culposo (sem intencionalidade).
Sabemos que morreu uma criança indefesa e a responsabilidade é de quem deveria dela cuidar - o pai.
Mas não posso parar de pensar no sofrimento desse pai e na pena que a ele já foi dada para o resto de sua vida.
Não dá para ficar calado.

2 comentários:

Takuya disse...

Em Japão também houve casos de mortes das crianças esquecidos no interior do carro pelos pais, e não foram uma ou duas, foram mais de 8.
Iniciaram a campanha Ant-esquecimento.
Nas entradas de supermercado, estacionamento, cinema, bar e restaurante, encontra-se um cartaz com um bêbe dormindo so sono angelical e está escrito:
Proteja este sono, voce não esqueceu seu filho no interior do veículo?
Deverá iniciar uma campanha patrocinado pelo governo ou prefeitura local, para evitar a reincidência.

grita! disse...

Aconteceu aqui em Portugal à uns dias e ouvir recriminações ao invés de compaixão como primeiro som a ser pronunciado, deixou-me chocada.

Porquê havemos de desconfiar de imediato da intenção do pai, se nada nos leva a querer que este pai é diferente dos milhares de outros que, todos os dias, levam os filhos seguros no carro, na cadeirinha especial, bem presos com o cinto, bem vestidos e alimentados, como o bem precioso que são?

Foi esquecimento e só se pode sentir compaixão por tamanho desgosto na vida de um casal.