sexta-feira, 30 de maio de 2008

Liberadas sem restrições as pesquisas científicas com células-tronco embrionárias.

A Lei de Biossegurança aprovada no Congresso Nacional em 2005, autorizou o uso das células-tronco embrionárias humanas para pesquisas científicas. Durante 3 anos sua aplicação foi impedida por recurso interposto junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No dia 30 de maio de 2008, em julgamento histórico, o Supremo, pelo voto da maioria, liberou em definitivo e sem restrições as pesquisas com as células-tronco embrionárias.

Aqueles que têm acompanhado os debates a respeito do tema e assistiram à defesa de seus votos pelos onze ministros do Supremo tiveram a sensação de vivenciarem um momento ímpar. O Brasil, país laico, livrou-se, no caso em questão, de arcaicas amarras religiosas e deu um salto para a modernidade. Votaram pela liberação das pesquisas os ministros:
  • Carlos Ayres Britto
  • Cármem Lúcia Antunes Rocha
  • Celso de Mello
  • Ellen Gracie
  • Joaquim Barbosa
  • Marco Aurélio Mello
O Observatório da Infância definiu, há cerca de dois meses atrás, seu voto a favor da liberação das pesquisas com células-tronco embrionárias em artigos publicados no blog: "Mais apoio à pesquisa com células-tronco embrionárias." e "As pesquisas com células-tronco embrionárias.".

Não dá para ficar calado.

Um comentário:

Juliana Alves disse...

Doutor, qual o número de consultas de pré-natal por mil mulheres grávidas?
Atenciosamente, Juliana.

Obs.: Adorei os Posts!