terça-feira, 25 de maio de 2010

Bullying não é caso de polícia

Será que virou moda falar de bullying? Não me agradam os modismos de uma forma geral. Mas vá lá... O que me preocupa é que não vejo a imprensa entrevistar os professores. Enfim, os que mais entendem de bullying.

O bullying deve ser prevenido e tratado na escola e não pode virar matéria predominantemente de polícia, Justiça, advogados, médicos e psicólogos.

Não dá para ficar calado.

Um comentário:

Gina lima disse...

Obrigada Dr. Lauro, sou Orientadora Educacional em Santa Maria - DF. Estudo o fenômeno bullying, inclusive através deste site. Em nossa escola alerto sempre de que esses atos praticados por alunos, professores, entre outros é assunto para projetos escolares. Deve ser tratado como um problema de relações interpessoais, com um agravante de que os alunos agressores advém de lares agressores, as vítimas são de famílias com baixo auto-estima e as testemunhas repassam a cultura "eu não tenho nada a ver com isso". Acredito que através de palestras após detectar os focos, alerta aos pais e conscientização dos professores, podemos sim visualizar uma cultura de paz nas nossas escolas. Seus estudos têm feito a diferença nas escolas. Ainda é preciso uma conscientização maior, mas já é um grande começo.
Parabéns pelo trabalho em prol das nossas crianças, jovens e adultos.
erginaslima@hotmail.com